Fé e Ciência

Numa grande revista européia foi publicado um artigo : “ Astrologia – sim ou não.” Grandes estatísticas foram feitas a respeito se acreditam em Astrologia ou não. Aos que nos perguntam se acreditamos na Astrologia, devemos responder :

– Não! Apenas a  observamos !

Astrologia é uma ciência e não pode ser acreditada ( objeto de crença ) enquanto se não a conhece, observa e experimenta.

Assim como uma criança não pode acreditar em matemática e precisa gradualmente ser ensinada nesta ciência, não podemos negar a existência e importância da relação entre o homem e o cosmos, entre a Criação e o Criador, enquanto não a observarmos e estudarmos a fundo.

Consideramos ser um perigo acreditar nela (a Astrologia), porque acreditar faz aceitar facilmente velhas superstições ou interpretações de um ponto de vista fatalista, prejudicando o senso de responsabilidade e iniciativa própria.

Naquela  estatística a respeito da Astrologia, muitos homens de fé declararam que para o cristão convencido, a astrologia não é necessária, porque ele encontra em sua convicção a força e luz necessária; outros prelados declararam que a Astrologia unirá a ciência e a fé, conduzindo a atual ciência materialista no beco sem saída onde entrou na era do racionalismo.

Fé e ciência não podem continuar a se combater e a andar separado e, somente quem se aprofundou na astrologia pode avaliar sua grande importância nesta união. O cientista que conhece astrologia, nunca mais despertará na juventude, a dúvida. Porque, observando o maravilhoso relógio da Criação, compreenderá que não há relógio sem Relojoeiro e que nós necessitamos para este relógio sempre da Suprema Inteligência do Criador.

O sacerdote que abre sua mente à ciência e ao conhecimento da Astrologia, saberá religar nossos corações ao Alto, sem provocar os choques entre estudos científicos e convicções dogmáticas.

A mais linda lição neste sentido recebi de minha mãezinha.

Ela tinha uma maravilhosa fé. Eu fui educada nessa fé mística mas, o colégio, os estudos, as observações científicas, criaram em mim a ansiedade do saber e, através da Astrologia, cheguei a compreender o que em criança me foi dado pela fé. Eu sabia que minha mãe tinha suas dúvidas a respeito do meu caminho e quando, após anos, a visitei pela última vez para despedir-me dela nesta vida, estava em minhas preocupações  como falar com ela, para que me compreendesse, para que não vivesse nos últimos instantes de sua vida terrestre com a ansiedade:  Será que reencontrarei minha filha?”

Assim, procurei adaptar-me a ela, ao seu modo de compreender e, depois demonstrar-lhe que meu trabalho como Astróloga não era inútil e “ pecado” , pedindo-lhe para dar-me datas de nascimento de pessoas que ela viu crescer e que estavam convictas na sua fé, explicando-lhe eu qual a luta interna, qual a Luz que deveriam visar, qual a educação que deveriam ter recebido.

Ainda a vejo diante de mim, após uma noite de testes e testes com ela, com seu corpo já diminuído, sentada na cama, me olhando com os olhos brilhantes e luminosos: “ Que maravilha! Já é um pouco tarde ! Mas ainda esta em tempo, diga-me como eu sou! “

.Na manhã seguinte era Natal. Ela me chamou e me mostrou como todo meu saber ainda era pequeno, diante de sua fé:

“ Agora compreendi a estória de Natal ! Há três caminhos que conduzem ‘a Jesus. Uns vem pelo ouvir falar, são os pastores que seguem a voz dos anjos. Outros, pelo sentir: Simão que sente a presença do Messias diante de si. E os terceiros são os Reis Magos, que vem pela ciência. Eu pensei que a ciência era o caminho errado, mas eu vejo que conduz direto ‘a Ele. “

Que interpretação profunda e importante para todos os que tem a Boa Vontade de compreender que mesmo sendo os caminhos diferentes nas diversas religiões, a meta, o fim a alcançar é o mesmo.

Os que vem pelo ouvir falar, são os que ouvem os seus sacerdotes falar e seguem docilmente sem compreender; os que vem pela voz interna, são os místicos que se entregam ao que sentem; e os terceiros, os que pela ciência procuram o caminho.

Mas nenhum dos três deve parar no seu caminho, mas precisa adiantar-se para chegar ao ponto que os três caminhos visam, e onde se unem.

Se existe o ditado que “ Pouca filosofia afasta de Deus e muita filosofia conduz a Ele “ , podemos também dizer que “ Pouca ciência nos afasta do Saber e muita ciência nos torna Sábios” .

Em qualquer dos caminhos que sigamos, precisamos partir do Acreditar, chegar ao Sentir, para depois Saber.

Quem somente acredita, não tem verdadeira fé. Ele precisa chegar ao sentir, viver e vibrar o que foi acreditado para saber da Eternidade.

Quem se baseia na ciência, precisa viver, vibrar e aprofundar-se na ciência e ela lhe dará a fé e a convicção da Vida Eterna.

Que o leitor possa, por este livro, obter a convicção. A Astrologia é a ciência explicando a Vida, sentimento e vibração existente em nós mesmos e ao nosso redor e nos facilitando conduzir…

 

Da fé cega ao Saber da Eternidade  e …

Da ciência terrestre à Fé na Vida Eterna.

 

Atalho para outras páginas