Martha Pires Ferreira

Emma de Mascheville _ 2020

             A pedido do astrólogo, Antônio Carlos Harres, sobre sua mestra, Dona Emy, como era carinhosamente chamada, Emma de Mascheville, repenso. Pouco a acrescentar do que escrevi em 2007. Tentarei dizer o máximo em poucas palavras.

Emma de Mascheville foi e é a pessoa mais Douta da História da Astrologia no Brasil. Não me refiro somente ao seu conhecimento epistemológico com vasta experiência acumulada em anos de atendimento pessoal e/ou como mestra, mas em especial por sua visão de mundo, sua largueza filosófica transmitida generosamente. Mulher que olhava o futuro da humanidade com esperança na compreensão das bipolaridades próprias da vida, um reencontrar, novamente, a harmonia, a unidade.

Fiquei, realmente, encantada quando a ouvi pela primeira vez, em 1975, num curso de poucos dias, num espaço de yoga e cultura, com a sua fala _ uma instigante indagação: “O que nós somos?”. Não se tratava ali, apenas, de uma astróloga tida como competente, dona de seu ofício por tantos anos de dedicação, estávamos diante uma pessoa elegante, refinada e mulher altiva em sua capacidade de ser _ uma pensadora. Arregalei meus olhos, em plena afinidade intelectual, porque a Astrologia, para mim, se identificava com pontos de vista semelhantes ao dela. Astrologia como instrumento precioso para o alargamento da consciência. Eu estava em frente de uma grande Senhora, com profundas indagações e compreensão da vida individual, coletiva e cósmica _ transmitindo a Astrologia em seu significado o mais elevado possível. Marcou de imediato, a muitos, com sua presença humana de mulher culta e sábia.

Quando vinha ao Rio de Janeiro, nos víamos, me telefonava, e trocávamos ideias. Profética, ela apontava os céus: “as grandes dificuldades para o final de século irão contribuir para o amadurecimento e evolução humana”. E dizia confiante: “quando o homem estiver no limiar da destruição, deporá as armas diante da voz de Deus, a própria consciência”.

Passado tantos anos, constato a marca deixada pela boa qualidade de discípulos fiéis, verdadeira Escola de Astrologia, informal _ significativa, efetiva, pela dedicação, estudos e pesquisas constantes dos seu seguidores.  Sou, apenas, observadora e testemunha destes caminhos. E isto é muito importante, fez e faz história.

Emma de Mascheville deixou sua obra com marcas originais e com legados sólidos e firmes que se estendem no tempo.  

 

                                                   Martha Pires Ferreira,

Rio de Janeiro, 3 de setembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + 19 =